plantas medicinais - CARQUEJA

Resultado de imagem para CARQUEJA

Nome Científico: Baccharis trimera

Família: Asteraceae (Compositae)

Outros Nomes Populares: carqueja-do-mato, bacárida, cacália, condamina, quina-de-condamine, tiririca-de-babado, carquejaamargosa, carqueja-amarga, bacanta, bacórida, carque, cacáliaamarga, vassoura, vassoura-de-botão .

Usos: Dispepsia (distúrbios da digestão) . Seu extrato metanólico apresenta potencial como adjuvante no tratamento da obesidade e de dislipidemias, uma vez que inibe a atividade da enzima lipase pancreática .

Parte Utilizada: haste florífera .

Plantio: Tolera bem solos ácidos e pobres, chegando, nestas condições, a atingir altas infestações que comprometem o crescimento das pastagens nativas, e a se tornar uma planta daninha de terrenos baldios e beira de estradas. Cresce também sob luz difusa e geadas. Floresce intensamente durante o verão .

Coleta e Conservação: Cortar apenas as hastes deixando as raízes, para o vegetal não morrer. Secar em local ventilado, sob o calor do sol. Após a secagem pode ser transformada em pó, e ser armazenada em vidros bem tampados .

Princípios Ativos: Substâncias amargas, óleo essencial (carquejol), substâncias resinosas, saponinas .

Modo de Preparo: Chá por infusão. 2,5 colheres de chá da planta picada em 1 xícara de chá (150mL) de água. Tomar uma xícara de chá de 2 a 3 vezes por dia. Uso somente em adultos .

Observações: • Publicações populares indicam a carqueja para o tratamento de úlcera, diabetes, malária, anginas, anemia, diarreias, garganta inflamada, vermes intestinais, febre, esterilidade feminina e impotência masculina. Destes, foram comprovados cientificamente as propriedades hepato-protetoras, digestiva, antiúlcera, antiácida, anti-inflamatória, analgésica e na redução dos níveis de açúcar no sangue1 . • Não deve ser utilizado em grávidas, pois pode promover contrações uterinas Evitar o uso concomitante com medicamentos para hipertensão e diabetes. O uso pode causar hipotensão .

Comentários